sábado, 5 de agosto de 2017

Colmeias tradicionais em Ibiza (caseres)






 Durante a ultima viagem a Ibiza e como é tradição um dia foi passado nas abelhas (para matar saudades) 

Depois de muito pesquisar encontrei a associação de apicultores de Ibiza e marquei com o Sr presidente um encontro mas tal não foi possível devido á agenda do mesmo e também não consegui um apicultor para me poder mostrar a apicultura na ilha (estranho).

Parti então á procura de um apicultor o que veio a acontecer 2 dias antes da partida. Encontrei o António Benitez, um apicultor que já teve 200 colmeias e neste momento tem 30 e quer apenas ficar apenas co 5 pois nos seus 73 anos já não tem vontade nem força para mais.

O Antonio mostrou em casa os tubos de cerâmica usados nas colmeias tradicionais.



Depois foi a vez de vermos uma peça para apanhar enxames, nada mais que uma cabaça 



Dali fomos para o apiário do Antonio onde embora em ruínas tinha lá a 1ª surpresa uma colmeia tradicional de Ibiza á qual lhe dão o nome de caseres, nada mais que pouco de história apícola já muito degradada mas dava para ver que em tempos foi uma colmeia. 


O resto da apicultura é como a nossa, colmeias langstroth com meia alça e ainda com mel pois o António tinha a carrinha avariada e ainda não tinha retirado o mel que diz também ser pouco pois a ilha está muito seca tal com aqui em Portugal a vegetação estava nos limites da sobrevivência



 Veja aqui um video da colmeia tradicional em ibiza
  
                 



                   

 De seguida fomos então para uma viagem no tempo. Pelo caminho vimos vegetação local composta principalmente por floresta de pinheiro mas havendo uma abundante quantidade de alecrim, urze, funcho, amendoeiras, alfarrobeiras e algumas plantas autóctones.


Chegamos então a um apiário a um apiário abandonado mas onde se notava que num passado não muito distante tinha tido muita atividade a ver pela quantidade de peças de museu (colmeias) que tinha embora em ruínas eram muitas.

 
Falamos com o nosso simpático e experiente guia sobre a famosa colmeia de Ibiza e foi nos explicando a sua maneira de construção, consistia em fazer uma base de pedra, em seguida era colocado lá o tubo que podia se de cerâmica, um troco de arvore oca ou com madeira entrelaçada e em seguida revestida com argila para dar consistência. tivemos a oportunidade de ver as 3 versões embora todas muito degradadas.
Colocado o tubo em cima da base de pedra, o mesmo era coberto por algas marinhas além se degradar com dificuldade concedia um bom isolamento, em cima das algas colocavam terra proveniente de poços onde fazia carvão vegetal dando uma terra que segundo ele era impermeável e por ultimo colocavam pedras em cima do conjunto afim de a água da chuva não entrar. Para a tira do mel tiravam alternadamente um ano tiravam os favos da frente e o ano seguinte tiravam os favos na traseira da colmeia garantindo assim a renovação da cera na colmeia.
Este tipo de colmeia terá tido origem na civilização cartagineza ou punica que dominaram a ilha durante séculos. Hoje estas colmeias estão em desuso tal como os nossos cortiços embora na ilha pelo menos uma foi reconstruida para fins didáticos e segundo relatos haverá mais algumas de particulares ainda com abelhas 12 estão catalogadas. Também nos foi dito que no final dos anos 60, inicio dos anos 70 do Sec passado começaram a ser abandonadas e substituídas por colmeias modernas principalmente as langstroth o golpe de misericórdia viria a acontecer quando a chegou a varroa (trazida para a ilha por apicultor alemão que trouxe vários enxames de bukfast com varroa) no inicio dos anos 90 dada a dificuldade de tratar as mesmas foram quase á extinção (tal como com os nossos cortiços). Na ilha foi feito um estudo e já encontraram 677 colmeias destas a quem eles chamam de CASERES dispersas por 60 apiários algumas das quais datavam do SEC XVII. 
Na ilha está também a decorrer um programa de introdução de abelhas autóctones vindas da ilha vizinha Maiorca pois segundo consta com a varroa foram introduzidas abelhas de fora e a local quase foi á extinção.        

Com isto nada mais e em 2018 espero que o ano apícola seja melhor que 2017 e estou encantado por ter viajado no tempo mais uma vez pois encontrar estas marcas da história é cada vez mais difícil e também é um testemunho que a apicultura também tem evoluído e o tempo não pode parar mas também acho este fósseis do nosso passado recente não devem ser completamente abandonados.

Um agradecimento ao António (o nosso guia), ao Pr Russo que também abdicou de um dia de férias e á minha esposa por ter descoberto o video onde estavam estas magnificas colmeias

Venha 2018

Francisco Rogão


quarta-feira, 1 de março de 2017

Criação rainhas com Francisco Rogão




28 de Abril. Dia de criação rainhas com Francisco Rogão

Oportunidade de aprender a criar rainhas 

 Para profissionais (mais de 1000 rainhas ano) e amadores (necessidades da exploração de 10 a 100 rainhas).
Seleção de colmeias genearcas, fazer translarve, colocação de realeiras nos nucléolos de fecundação, introdução de rainhas virgens e fecundadas, apiários de fecundação, seleção de colmeias dadoras de zangãos. Material base para criação rainhas. Recolha de rainhas, uso adequado das rainhas manter as colmeias criadeiras.


50 euros + iva

  

Inscrições aqui





Jornada com Gilles Fert



Aniversário macmel 


Inscrições e informações aqui

Criação de rainhas e produção de geleia real, c/ Francisco rogão 29 de Abril 2017

Criação rainhas 29 Abril 2017


Curso de criação de rainhas e produção de geleia real, com a presença de Gilles Fert

Participação gratuita a todos os apicultores



MACMEL Formação
Criação rainhas e 12º aniversário da Macmel dia 29 de Abril 2017
Manhã dia 29 Abril 2017 apiário escola Macmel

Demonstração do modo de criação de rainhas 
Demonstração como fazer pacotes de abelhas

Workshop criação rainhas e demonstração prática com André Vaz
Cada participante vai poder ver e praticar os métodos explicados orientado por André Vaz (picking)

Workshop produção geleia real com Francisco Rogão

Workshop utilização do sublimador com Rui Jacinto




Tarde 14h.20 Seminário internacional no auditório da ACIMC de Macedo de Cavaleiros

14.30 Abertura seminário

Bruno Moreira (turma da abelha) importância da cooperação entre apicultores

Francisco Rogão (Macmel) produção geleia real

André Vaz Polen

CONHEÇIMENTO E SELEÇÃO DA RAINHA

Conheça a Rainha

PREPARAÇÃO DAS COLÔNIAS

A escolha das colônias "mães" ou seleção

A seleção de abelhas mais limpas ou "teste de limpeza"

A conservação de rainhas mães

Estimulação e desenvolvimento de colónias chocadeiras

Produzir suas próprias rainhas

Fecundação

Introdução rainhas virgens e fecundadas
 

Gilles Fert (apicultor) criação de rainhas


CONHEÇIMENTO E SELEÇÃO DA RAINHA


A escolha das colônias "mães", seleção. A seleção de abelhas mais limpas ou "teste de limpeza"



A conservação de rainhas mães


Estimulação e desenvolvimento de colónias chocadeiras


MATERIAL BASE


As cúpulas. Quadros para realeiras. Transferência espátula ou "picking



Produzir suas próprias rainhas


Rainhas, produzir menos de 20 por ano. Produzir, de  20 a 200 rainhas por ano. Fecundação dirigida. A criação de zangãos

Escolher a melhor apiário de fecundação. Que modelo de núcleos escolher?

Transporte e introdução das células de reais. Colmeia com rainha dupla


Avaliação e recolha de rainhas. Marcação de rainhas. O "clipping". O envio da rainha

Uso adequado de rainhas






A introdução de rainhas virgens

A introdução de rainhas fecundadas

A introdução das rainhas de valor

A constituição numa colméia zanganeira


A PRODUÇÃO DE ABELHAS



A preparação das colónias e introdução dos pacotes de abelhas




Método de recolha de pacotes de abelhas


Abelhas destinas a núcleos, As abelhas destinadas à venda

Inscrições e informações aqui